câncer de colo de útero é o terceiro mais frequente entre as brasileiras e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Quanto mais cedo for diagnosticado, maiores são as chances de cura. Por isso, a campanha do Janeiro Verde alerta para que mulheres se atentem para prevenção e detecção precoce do câncer de colo de útero.

Relação com HPV

Este tipo de câncer é causado pela infecção persistente de alguns tipos de papilomavírus humano (HPV).

Existem mais de 200 tipos de HPV, sendo 18 deles os de alto risco, ou seja, que podem levar ao desenvolvimento de câncer, tanto cervical como de cabeça e pescoço. A infecção genital por HPV é muito frequente, sendo os tipos 16 e 18 os mais incidentes nos casos de câncer de colo de útero.

Formas de detecção

Mesmo sem sintomas, é indicado que todas as mulheres realizem periodicamente o exame preventivo (Papanicolau). Com o diagnóstico em fase inicial, as chances de cura são de 100%. Apesar do exame ser gratuito no Sistema Único de Saúde e coberto também pelos planos de saúde, 52% das mulheres brasileiras não realiza o exame preventivo, segundo a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

O Papanicolau detecta alterações citopatológicas a partir do raspado celular, contudo, não identifica o vírus HPV em si.

Para isso, é possível realizar o teste molecular. O exame identifica a presença do HPV, e se o tipo de vírus presente é de baixo ou alto risco oncológico.

Fonte: https://www.labnetwork.com.br